Nasce o Programa de Pós-Graduação “Jogos e Entretenimento Digital”, Pré-Inscrições Abertas

Featured

Curadoria: Gilson Schwartz (Iconomia, USP, Games for Change América Latina)

Coordenação Pedagógica: Luis Fernando de Almeida (UNITAU)

Ficha de Pré-Inscrição

https://docs.google.com/forms/d/1X1U7M9HATNfxSsk_TjlS4K8_SOVgeLxXOKRyMDIihzY/edit

O que é o Programa JEDI?

Os jogos ou “games” e, de modo geral, a ampla convergência entre tecnologias, mídias e interfaces digitais na transformação das indústrias criativas, destacando-se a “gamification” em todas as áreas, exigem a formação de novas competências profissionais. Especialistas qualificados em tecnologias digitais, artes, gestão de projetos e negócios voltados ao contexto criativo brasileiro serão demandados em mercados ligados ao entretenimento digital.

 

O Programa “Jogos e Entretenimento Digital – JEDI” oferecido pela Universidade de Taubaté em parceria com a rede internacional “Games for Change” e o grupo de pesquisa “Cidade do Conhecimento” da Universidade de São Paulo surge num contexto de aumento na escala e na diversidade de mídias, interfaces e processos mediados pelo audiovisual interativo, colaborativo e imersivo.

 

O profissional do futuro, apto a criar, gerenciar e rentabilizar projetos com esse nível de complexidade será um empreendedor capaz de aliar a inovação tecnológica a uma visão de negócios e projetos integrados a mercados como cinema, rádio, tv, internet, jornalismo, turismo e hotelaria, esportes, redes sociais e publicidade, patrimônio histórico e cultural, relações públicas e comunicação organizacional, moda, serviços públicos e iniciativas do terceiro setor.

A integração com a rede internacional “Games for Change” facilitará a busca de parceiros e a ampliação da visibilidade para o desenvolvimento, financiamento e promoção dos projetos criados pelos participantes no Programa JEDI.

 

Objetivos

O Programa JEDI tem como objetivo facilitar a criação, incubação, aceleração ou “doctoring” (revisão crítica e planejamento estratégico) de projetos de games e outras tecnologias usadas por empresas e organizações com foco em economia criativa.

 Os projetos serão selecionados com base nos princípios éticos, sociais e culturais promovidos pela rede internacional “Games for Change”, pautados pelo entretenimento responsável e pela promoção de games com impacto favorável na transformação das condições sociais, ambientais e educacionais em todo o mundo.

As competências e disciplinas do Programa JEDI serão integralmente voltadas à criação ou desenvolvimento de projetos selecionados previamente. O processo seletivo é parte integrante do ato de inscrição no Programa. Os projetos poderão ser de iniciativa individual ou integrados a estratégias de empreendedorismo criativo, patrocinados por empresas, organizações do terceiro setor ou agências governamentais.

 

Estrutura, Duração e Custos

 O Programa JEDI tem duração de quatro semestres, organizados como um ciclo de desenvolvimento de projeto de game ou “gamification” de produto ou serviço que se inicia com um semestre voltado à definição do Modelo de Negócios (Pré-Produção), passa a uma fase de dois semestres de Desenvolvimento (Produção) e culmina com o semestre final de Finalização (Pós-Produção). Os interessados em realizar o semestre final no exterior, em parceria com organizações e empresas associadas à rede “Games for Change”, receberão apoio logístico do Programa. O Programa exige a frequência a 85% de todas as 12 disciplinas oferecidas (três por semestre), assim como 100% de frequência à disciplina “Acompanhamento de Projetos”, sob a supervisão de um Mentor (presencial e remotamente).

O custo estimado é de R$ 12 mil (valor parcelado em até 24 mensalidades de R$ 500).

Empresas e organizações interessadas em patrocinar projetos podem indicar esse propósito na Ficha de Pré-Inscrição.

Disciplinas por Módulo

 

Módulo I:

Disciplina 1: Novas Narrativas, Mídias Digitais e “Gamification” / Convergência Digital e Games

Disciplina 2: Engine I

Acompanhamento de Projeto

Módulo II:

Disciplina 3: Metodologia e Processo de Desenvolvimento de Jogos

Disciplina 4: Engine II

Acompanhamento de Projeto

 

Módulo III:

Disciplina 5: Game Design

Disciplina 6: Desenvolvimento de Mecânicas de Jogos

Acompanhamento de Projeto

Módulo IV:

Disciplina 7: Iconomia – Teoria do Valor da Imagem e Modelos de Negócio nas Comunicações e nas Artes

Disciplina 8: Estética e Retórica Procedimental

Acompanhamento de Projeto

Módulo V:

 

Disciplina 9: Inteligência Artificial para Jogos

Disciplina 10: Desenvolvimento Multiplayer

Acompanhamento de Projeto

Módulo VI:

Disciplina 11: Interação, Colaboração, Imersão e Mercado de Jogos

Disciplina 12: Tópicos Avançados de Desenvolvimento

Acompanhamento de Projeto

 

Carga horária

             Aulas em sala de aula            360 horas

             Acompanhamento de Projeto    20 horas

             Mentoring                              120 horas                 (mínima)

      TOTAL                                           500 horas

       Duração                                         24 meses

Critérios e Período de Seleção

 

Os interessados devem preencher o Formulário de Pré-Inscrição que inclui questões para caracterizar minimamente o projeto a ser realizado durante o Programa JEDI.

As inscrição serão encerradas no dia 15 de agosto.

As atividades terão início em outubro de 2014.

 

Data de Início do Programa: Outubro de 2014

Data de Encerramento: Dezembro de 2016

 

Critérios de Aprovação

Frequência mínima de 85% em todas as atividades do Programa, submeter projeto final para avaliação de Banca Examinadora.

Equipe de Docentes

Luis Fernando de Almeida (Doutor)

Gilson Schwartz (Doutor)

Flavio Soares (Doutor)

Ricardo Nakamura (Doutor)

Marcelo Simão de Vasconcellos (Doutor)

Eduardo Hidenori Enari (Doutor)

Ivan Carlos Alcântara de Almeida (Doutor)

Mauricio Cardoso (Doutor)

Mario Lapin (Especialista)

Daniel Merli Lamosa (Mestre)

Rafael Lira (Especialista)

Tatiana Tosi (Especialista)

Alexandre Le Voci Sayad (Especialista)

Stephane Meheux (Especialista)

Robson Bello (Mestre)

Diego Viana (Mestre)

Gabriela Campedelli (Mestre)

 

Ficha de Pré-Inscrição

https://docs.google.com/forms/d/1X1U7M9HATNfxSsk_TjlS4K8_SOVgeLxXOKRyMDIihzY/edit

 

UNITAU anuncia Programa JEDI

Featured

O Departamento de Computação da Universidade de Taubaté – UNITAU anunciou o lançamento de um novo programa de pós-graduação (“latu sensu”) voltado a Jogos e Entretenimento Digital, o Programa JEDI. Em parceria com a rede internacional “Games for Change” e o grupo de pesquisa “Cidade do Conhecimento”, o programa de especialização nasce como iniciativa associada ao evento “LIGAÇÃO – Literatura Infantojuvenil, Games e Artes em Ação”.

A Curadoria do Programa JEDI é coordenada por Gilson Schwartz, professor do Depto. de Cinema, Rádio e TV da Escola de Comunicações e Artes (CTR-ECA) da Universidade de São Paulo, diretor para América Latina da rede “Games for Change” e coordenador da “Cidade do Conhecimento”.

A Coordenação Pedagógica é de Luis Almeida, Chefe do Departamento de Computação da UNITAU. Professores da UNITAU, USP e especialistas integram o corpo docente como Flávio Soares (Instituto de Matemática e Estatística da USP), Ricardo Nakamura (Escola Politécnica da USP), Mario Lapin (Virgo Games) e Alexandre Le Voci Sayad (Media Education Lab).

As atividades terão início no segundo semestre de 2014, uma ficha de pré-inscrição já está disponível. O curso terá duração de dois anos e os projetos selecionados serão destaque no evento anual LIGAÇÃO, que chega em 2014 à sua quinta edição com apoio da Prefeitura Municipal de Taubaté e CIESP do Vale do Paraíba. As aulas acontecerão no campus Taubaté da UNITAU, aos sábados. Uma plataforma de gestão de projetos será o espaço para interagir com mentores, professores e colegas.

“Vamos reforçar a vocação da terra natal de Monteiro Lobato e Mazzaroppi, um celeiro de ícones da cultura brasileira e capital nacional da literatura infantil. O envolvimento de professores da área de computação da UNITAU e da USP, assim como a integração com mentores-especialistas do mercado é a garantia de que vamos oferecer uma formação completa que inclui programação, cultura audiovisual e ênfase na colocação dos games e aplicativos desenvolvidos no mercado”, assegura o Curador do projeto, Gilson Schwartz.

O processo de pré-inscrição prossegue até junho. O Coordenador Pedagógico, Luis Almeida, destaca a cooperação com empresas e instituições de ensino de outros países. “A parceria com a rede internacional Games for Change viabiliza a realização do último semestre do curso, voltado para a entrega de games e aplicativos, na forma de estágios em outros países tais como a New York University e a empresa Ovos, na Áustria. Os alunos terão oportunidades de interagir com projetos desenvolvidos no exterior e também abrir espaço para a distribuição internacional dos produtos criados no Brasil”, relata o Chefe do Departamento de Computação da UNITAU.

Mais Informações

http://gamesforchange.org.br/?p=2102

Pré-Inscrição (Não Garante Vagas)

https://docs.google.com/forms/d/1X1U7M9HATNfxSsk_TjlS4K8_SOVgeLxXOKRyMDIihzY/edit

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Global Game Jam 2014 na USP

Featured

Durante o final de semana de aniversário da cidade de São Paulo, no último dia 25 de janeiro, ocorreu na Universidade de São Paulo, sob a coordenação do professor Ricardo Nakamura (POLI-USP) e apoio da Cidade do Conhecimento e Games for Change, a Global Game Jam 2014 (#ggj2014).

A Global Game Jam é uma maratona internacional de game designers que num prazo de 48 horas precisam desenvolver um jogo com temática definida pelos organizadores. O tema de 2014 foi “We Don’t See Things as They Are,We See tTem as We Are” (vemos as coisas não como elas são, mas como nós somos)..

O evento reuniu desenvolvedores de idade e experiência variadas: desde amadores até veteranos de outras jams, todos se reuniram com o objetivo de aprender e compartilhar experiências de game design.

Na USP, o evento reuniu mais de 30 pessoas que criaram sete games como “Psychic Sleuth”, um jogo de investigação criminal e mistério cujo detetive protagonista utiliza-se de poderes sobrenaturais para observar o crime pelos olhos do culpado. O tema definido pelos organizadores, ao invés de limitar a criatividade dos desenvolvedores, gera um “ponto fixo” em torno do qual os games “orbitam”. Cabe aos desenvolvedores fazer escolhas rápidas que vão da jogabilidade às mecânicas, formatos e roteiros. Conheça os games criados na USP Global Game Jam, com apoio da Prefeitura do Campus, Projeto WISH (PGT-FEA-USP), Cidade do Conhecimento, Games for Change e Escola Politécnica.

Games Desenvolvidos na GLOBAL GAME JAM 2014

1- Another Simple Day

Equipe: Gregory De Bonis, Natasha Higa, Rodrigo de Paula Gomes
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/another-simple-day

2-Infinitum

Equipe: Hugo Campos, Leanderson Alves, Ricardo Costa
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/infinitum

3-Naomi

Equipe: Renato Geh
Ricardo Fonseca
Yan Soares Couto
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/naomi

4- PrinSpirit

Equipe:  Arthur Ferrai, Vitor Navarro e “Participação Especial” de Giuliano Bortolassi
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/prinspirit

5- Psychic Sleuth

Equipe: Vinícius K. Daros, Wilson Kazuo Mizutani, Marcus Vinicius Bérgamo, Pedro Felipe Ajzenberg Schwartz, André Febeliano da Costa
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/psychic-sleuth

6- The Threat

Equipe: Mario Nagamura, William Henrique Maciel, Isabela Lauletta Modesto, Theo Tanaka, Tiago Lauletta Modesto
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/threat

7- WhatUsee

Equipe:  Luiz Gustavo Lino, Lumi Mae
Site: http://globalgamejam.org/2014/games/whatusee 

III Festival Games for Change América Latina

Featured

 Consulte o Programa! Mais de 40 horas de atividades, WISH Game Jam e Playtests

O festival anual sobre games que mudam a sociedade acontece na USP entre os dias 29 de novembro e 1 de dezembro, promovido pela rede internacional “Games for Change” com participação de pesquisadores e ativistas do Brasil e do exterior. A terceira edição organizada pelo grupo de pesquisa Cidade do Conhecimento da USP é marcada pelo lançamento do game austríaco Ludwig, uma divertida aventura no mundo da física de energias e da robótica.

Inscrições pelo Formulário

O Festival reunirá profissionais de mercado e pesquisadores das principais áreas do conhecimento humano para debater o impacto dos games na saúde e na sociedade, seus efeitos na aprendizagem em todos os níveis e a relação entre criar ou consumir games e a aceleração da inovação tecnológica, em especial em campos como realidade aumentada, internet das coisas, computação em nuvem e mobilidade.

 

Games Complexos

“Games são objetos complexos, interdisciplinares e transmidiáticos. Seu impacto tem sido crescente, especialmente em áreas tidas como alheias ao entretenimento como educação, cultura, saúde, meio-ambiente, segurança e defesa. O Festival é uma referência única na América Latina para quem está atento à gamificação. Vamos apresentar e debater tendências, mas também oferecer oficinas de game design e lançar produtos de ponta como Ludwig, game patrocinado pelo Ministério da Educação da Áustria e pela Prefeitura de Viena”, explica o Diretor para América Latina da rede Games for Change e professor da Escola de Comunicações e Artes – ECA da USP, Gilson Schwartz.

A programação do Festival, que ocorrerá na ECA e no Centro de Práticas Esportivas da USP, inclui uma “game jam”, espécie de maratona onde desenvolvedores vão encarar ao longo de três dias o desafio de produzir games que tenham impacto na universidade, transformando a relação entre a maior e melhor universidade brasileira e a sociedade.

“A gamificação da USP é um desafio extraordinário, abrindo novas perspectivas de compartilhamento de conhecimento e conscientização sobre o papel da universidade no mundo atual”, explica o coordenador da USP Jam, Ricardo Nakamura, professor da Escola Politécnica.

“As relações entre a universidade, a inovação e o desenvolvimento social exigem o enfrentamento de questões onde o futuro da tecnologia depende tanto das novas formas de entretenimento e cultura quanto do domínio das chamadas “hard sciences” para gerar novos modelos. Os games são um exemplo dessa fronteira interdisciplinar da sustentabilidade”, segundo Guilherme Ary Plonski, coordenador científico do Núcleo de Pesquisa em Política e Gestão da Tecnologia e da Inovação Sustentável (PGT), da Faculdade de Economia e Administração da USP, responsável pela USP Jam. Um seminário pré-Festival (no dia 28 de novembro) vai apresentar uma visão estratégica dos games na transformação da sociedade contemporânea.

 

Trilhas de Conhecimento

O Festival inclui palestras, debates, oficinas e teste de games como Ludwig e Conflitos Globais, também distribuído pela Cidade do Conhecimento e premiado em 2009 como projeto inovador pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.

As palestras e debates estão organizadas tematicamente em três trilhas que ocorrerão simultaneamente: Impacto, Aprendizagem e Inovação. Na trilha “Impacto” os convidados discutirão os vícios e virtudes dos games e das novas interfaces narrativas da cultura digital, seus efeitos e riscos em áreas como saúde, ativismo político, empreendedorismo, transformação de mercados e modelos de publicidade. Professores, pesquisadores, game designers e ativistas do Brasil e do exterior participam desta trilha. Grupos de pesquisa como o Ludens, do Departamento de História e o Núcleo de Pesquisa em Saúde Integral da Criança e do Adolescente da Universidade Federal Fluminense também marcarão presença no Festival.

Na trilha de Aprendizagem, o foco será o uso de games na área de Educação e como a nova era lúdica pode contribuir para engajar e envolver alunos de diferentes idades e níveis escolares. “Adotamos nos projetos de aconselhamento e orientação pedagógica da Cidade do Conhecimento na USP a expressão “edugamificação” para designar esse horizonte transmidiático em que os jogos e o entretenimento tornam-se o centro da experiência pedagógica digital”, afirma o Curador do Festival e líder do grupo de pesquisa que representa a rede Games for Change no Brasil, Gilson Schwartz.

A relação entre games e aprendizagem poderá ser vivenciada pelos participantes em sessões de teste dos games nos laboratórios da ECA. O destaque é o jogo austríaco Ludwig, que será lançado no Festival com  a presença do desenvolvedor, Jörg Hofstätter. “A chegada de Ludwig ao Brasil é também uma oportunidade para ampliar a cooperação entre universidades e empresas da Áustria e mesmo da União Européia com seus congêneres brasileiros. Espero que a minha participação contribua para ampliar esse horizonte de internacionalização do mercado brasileiro de games como uma via de mão dupla”, explica Hofstätter, CEO do estúdio de game design austríaco “Ovos”.

Na trilha voltada para Inovação as discussões vão girar em torno da relação entre games e mudanças de paradigma na produção e consumo de tecnologia. “O tabuleiro digital será ultrapassado pela internet das coisas, onde jogar um game digital terá impacto no mundo real, a própria realidade física interconectada funcionará como um tabuleiro em tempo e tamanho reais”, explica José Roberto Amazonas, professor da Escola Politécnica que vai abordar a convergência entre gamificação e internet das coisas. A importância de simuladores para a inovação em campos como segurança, defesa e finanças também será tema de várias palestras e debates. Finalmente, as mudanças no campo da dramaturgia, o surgimento de novas formas narrativas e a convergência entre games e diferentes suportes audiovisuais como cinema e televisão serão discutidas na trilha de inovação.

Além das trilhas, do teste de games em laboratório e da game jam, os participantes terão acesso a oficinas práticas de criação de games com Mario Lapin, do estúdio paulistano Virgo Games (criador de “Autopolis, Jogo da Vida em Trânsito”) e Francisco Tupy, Mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela ECA, responsável por tecnologias e educação no Colégio Porto Seguro e gestor da comunidade “Games for Change” no Brasil.

 

Mudança Global

O Festival é uma oportunidade única para ficar atualizado na teoria, na prática e na vivência de games com impacto e na discussão sobre o impacto dos games. “A rede internacional Games for Change é um movimento, uma ação coordenada em que a forma de entretenimento mais globalizada da atualidade passa a ser entendida, produzida e consumida com maior consciência. Após uma década de atuação, já é visível em vários países que os games são uma força transformadora de hábitos e também de políticas públicas em áreas sociais, de apoio a inovação tecnológica e de transformação em práticas educacionais”, afirma Asi Burak, o presidente mundial da ONG Games for Change, autor de um game clássico no gênero, “Peace Maker”, sobre o conflito árabe-israelense, Burak virá ao Brasil para a terceira edição do Festival latino-americano na USP.

 

Mais informações:

Cidade do Conhecimento, USP
(5511) 3091 4305
Gilson Schwartz
schwartz@usp.br
http://www.cidade.usp.br
http://www.gamesforchange.org.br
No Facebook: Games for Change América Latina

 

Serviço
III Festival Games for Change América Latina
Escola de Comunicações e Artes da USP
29-30 de novembro de 2013
Seminário Pré-Festival: “I Seminário Internacional de Iconomia: Os Games na Helix Global”

 

Inscrições pelo Formulário

Valor: R$ 250 até 25 de novembro, com Passe Livre, licenças dos games Ludwig e Conflitos Globais, DVD com a íntegra das palestras e debates, filiação anual à Comunidade Games for Change, exemplar digital do livro “Brinco, Logo Aprendo: Videogames, Educação e Moralidades Pós-Modernas”, de Gilson Schwartz (Editora Paulus, 2014). Após o dia 25, o valor será de R$ 350.

G4C Latin America assina acordo com Gyeonggi Content Agency

Featured

A Games for Change Latin America (G4C LA) recebeu representantes da “Gyeonggi Content Agency” (GCA), responsáveis pelo “Good Game Show Korea”, para assinar um acordo de cooperação para desenvolvimento e distribuição de games em ambas as regiões. A GCA, apoia a Games for Change na Coreia do Sul, convidou a G4C LA para apresentar suas experiências e levar casos brasileiros na área de “Serious Games” no Brasil e América Latina ao próximo “Good Game Show”, que acontecerá no primeiro semestre de 2014.

Apoena, INAC e Fundação Banco do Brasil no Festival

Featured

Por intermédio do projeto Estação de Metarreciclagem – EMR Apoena, uma parceria com a
Fundação Banco do Brasil, o Instituto Nova Ágora de Cidadania – INAC estará presente no
dia 15 de dezembro (sábado) com a instalação de um stand . A ideia é recondicionar os
equipamentos e profissionalizar jovens com a montagem dos aparelhos e aprendizado dos
softwares. As doações e descartes serão realizadas ao longo do dia 15 de dezembro, na Praça da Biblioteca Victor Civitta, no Memorial da América Latina.

 

Participe do Festival e ganhe Moedas Criativas!

Featured

A participação em palestras, oficinas, debates e na Feira de Trocas resulta em acumulação de créditos em “moedas criativas”. As moedas serão trocadas por prêmios como assinaturas anuais da Folha de S.Paulo, da revista EGW, camisinhas da Prudence e brinquedos eletrônicos oferecidos como doação na Feira promovida pelo Festival.

“Estamos há três anos fazendo projetos-piloto com moedas criativas, a partir da premiação da proposta pelo Ministério da Cultura, BNDES e outros parceiros. A cada rodada, o sistema é aperfeiçoado. Em 2013, esperamos ampliar a escala com a participação de mais parceiros na indústria e no comércio”, explica o criador do projeto e Curador do Festival Games for Change América Latina, Gilson Schwartz. Em 2012, a UNESCO indicou essas ideias na campanha “+20 ideias para Girar o Mundo”, lançada na Rio+20.

Preencha o formulário abaixo para participar. A promoção é válida para quem participa online, acompanhando as atividades pela IPTV da USP.

 

Tambor Digital anuncia parceria com Games for Change

Featured

A Tambor Digital Editora, que publica a revista EGW (Entertainment & Game World) e promove o “Brazil Game Show” anunciou parceria com o Festival Games for Change América Latina 2012: além de participar da rede de mobilização para a Feira de Trocas, Doações a Descarte de Games e Brinquedos Eletrônicos (sábado, o dia todo no Memorial da América Latina), André Forastieri garante 10 assinaturas e 30 ingressos para a entrega do Troféu GameWorld 2013 para os participantes que mais acumularem moedas criativas. As moedas criativas podem ser obtidas pelos participantes que têm acesso a códigos revelados apenas durante as atividades promovidas durante o Festival.

“É uma moeda de game, nesse caso de um “game for change” pois ao promover a troca, a doação e o descarte de games e brinquedos eletrônicos, queremos alertar para as dimensões de responsabilidade social e ambiental derivadas do consumo de games e brinquedos eletrônicos”, afirma Gilson Schwartz, Curador do Festival.

Para André Forastieri, o Brasil vive um momento de excepcional crescimento do mercado de games e do entretenimento digital. “É essencial que a indústria e o comércio cresçam, porém sem abrir mão dos compromissos com a sociedade e o meio-ambiente”, completa Forastieri.

Ingressos para o Festival estão disponíveis para quem preencher o Formulário de Inscrição, mas haverá acesso específico para a Feira de Trocas, Doações e Descarte de Games e Brinquedos Eletrônicos. São R$ 20 (vinte reais) que vão ajudar a pagar as despesas de transporte de toda a sucata para um pólo de reciclagem na periferia paulistana.

 

Festival de games terá ‘Call of Duty’ do cangaço

Featured

Um FPS (“first person shooter”) com apoio da rede mundial “Games for Change”? Assim abre a reportagem do caderno TEC da Folha de S.Paulo sobre as novidades e agenda do II Festival Games for Change América Latina, referindo-se ao game “Maria Bonita e o Lampião Digital”, de Dada Trindade.

O projeto foi selecionado em oficinas de criação de games patrocinadas pela rede mundial Games for Change e realizadas em julho e agosto, no Museu da Imagem e do Som – MIS de São Paulo.

“Dada é uma jovem artista com formação em game design numa universidade norte-americana. É também neta de Solano Trindade e filha de Raquel Trindade, ícones da herança afro-brasileira e da luta pela democracia”,  afirma Gilson Schwartz, Curador da Residência Artística oferecida no MIS e produtor do game.

“O modelo de produção é colaborativo, o game é um projeto que puxa uma rede transdisciplinar voltada à gamificação do imaginário brasileiro, com viés de transformação, mobilização social e estímulo à criatividade popular”, completa Schwartz.

No encerramento do Festival, após uma onda de oficinas, colaboração e programação audiovisual, será apresentado uma primeira animação em UNITY que introduz os participantes no universo do game. A UNITY é parceira do projeto, cujos resultados serão comercializados em formatos para interfaces móveis, internet e celulares.

Leia mais na reportagem do caderno TEC da Folha.

Os games no divã: Freud e Lacan “for change”

Featured

Mestre na ECA-USP com dissertação sobre as relações entre educação, novas mídias e psicanálise, integrante do grupo de pesquisa “Cidade do Conhecimento” e colaboradora em projetos de pesquisa sobre o uso das TICs na educação (com o CETIC.br), de uso de games na escola (Conflitos Globais) e Pré-Iniciação Científica (Pró-Reitoria de Graduação da USP), Thais Barros participa de duas oficinas no II Festival Games for Change América Latina.

O que irá apresentar no Festival?  

No dia 12, juntamente com Gilson Schwartz e André Jun, oferecemos a oficina “Games nas Escolas, Já?!”. Falaremos sobre os diversos projetos, pesquisas  e experiências que temos desenvolvido e acompanhado na “Cidade do Conhecimento”. Tratarei de aspectos voltados ao uso de TICs (tecnologias de informação e comunicação) no ambiente escolar. Meu foco é a descoberta dos novos lugares que o professor pode – ou precisa – ocupar no cenário em que essas tecnologias modificam os processos de aprendizagem. Recorri  à psicanálise freudiana e lacaniana para sustentar minhas discussões, utilizando a noção de semblante e também, o conceito de mentoring.

Vamos também compartilhar um pouco da experiência na pesquisa “TIC Educação” proposta pelo CETIC.br, voltada ao levantamento e acompanhamento da inserção e uso de TICs em todo o Brasil, acompanhando mais de 600 escolas (500 delas da rede pública).  O projeto começou em  2010 e segue até 2014.

A equipe da Cidade do Conhecimento foi convidada a coordenar e realizar a pesquisa qualitativa no Estado de São Paulo. Os resultados centrais da pesquisa somente serão divulgados ao final do projeto, mas a experiência já permite ampliar a consciência dos desafios que a introdução de novas mídias e ferramentas digitais trazem para o professor, o gestor escolar e o aluno.

São reflexões que ganham ainda mais corpo e evidências empíricas com base nos resultados de uma enquete realizada em nove escolas do Estado de São Paulo. A oficina será também uma oportunidade para mostrar os primeiros resultados alcançados com jovens bolsistas do Programa de Pré-Iniciação Científica da USP: nosso grupo que está engajado na difusão de games em suas escolas.

Em outra oficina, que acontecerá no dia 14 juntamente com Francisco Tupy e Pedro Schwartz, apresentaremos resultados,  observações e tendências  que vem sendo levantados em nossas incursões junto às escolas com o game “Conflitos Globais”.

Como sua apresentação está conectada com a pesquisa em games? 

Todas essas experiências têm possibilitado investigar mudanças que vem ocorrendo na cultura digital levando à construção de novos laços sociais. As tecnologias interferem diretamente neste processo e de maneira recorrente a questão dos games se faz presente, como fenômeno social, cultural, econômico. Um fenômeno que instiga a reflexão sustentada pelo olhar psicanalítico, partindo da importância do brincar como um dos caminhos fundamentais de construção das relações com o mundo.

Quais os principais projetos de pesquisa em games que a Cidade do Conhecimento está produzindo?

A Cidade do Conhecimento vem aprofundando sua atuação na linha de pesquisa-programa-ação na qual processos de aprendizagem e construção coletiva são centrais. Destacam-se aí a já citada participação na pesquisa “TIC Educação” (CETIC.br), os diversos projetos de mestrado e doutorado, a participação no Programa de Pré-Iniciação Científica da Pró-Reitoria de Graduação da USP, o apoio à Ligação (festa de Literatura Infantojuvenil, Games e Artes em Ação, já em sua terceira edição anual em Taubaté).  Em todos eles a discussão sobre games se faz presente,  discutindo aplicações/usos, propondo abordagens, verificando impactos. Como pesquisadora do grupo minha participação está no olhar psicanalítico comprometido com a construção de propostas  emancipatórias. Os games recolocam questões clássicas como o pensar o sujeito, seus movimentos e a passagem para o coletivo, sustentadas também pela prática do mentoring como modelo relacional.

Todo jogo é transformador

Featured

Depois da web 2.0, a fronteira das tecnologias digitais é a chamada “internet das coisas”. José Roberto Amazonas, professor da Escola Politécnica da USP, antecipa temas e desafios para a pesquisa que tem como horizonte a convergência entre games e “IoT” (“internet of things”).
O que irá apresentar no Festival?  
No dia 12 participo da oficina “Game Design e Internet das Coisas”. Nessa apresentação, além de apresentar o conceito de Internet das Coisas, sua função de plataforma tecnológica para a implantação de games, mostrarei um exemplo prático de serviço voltado à sustentabilidade que está em desenvolvimento por meio de uma parceria entre a USP (Cidade do Conhecimento e Escola Politécnica) e a UNICSUL.

No dia 15 estarei na mesa redonda “Games, Saúde e Sustentabilidade”, quando visto o meu chapéu de psicanalista para mostrar que não existe Game que não seja for Change. Pode ser que não saibamos explicar a mudança, mas isso não quer dizer que ela não esteja ocorrendo.

O mistério pode ser esclarecido a partir de um enfoque Lacaniano em que o game é um mediador onde o Imaginário e o Simbólico se entrelaçam para promover mudanças no Real. Pode ser abordado de forma Kleiniana em que na dinâmica da alternância das posições Esquizo-Paranóide e Depressiva se verifica a frustração dos participantes diante do não-seio. Ou ainda, que é a minha preferida, na perspectiva Bioniana, o passado é apresentado, um sonho é construído, se vislumbra a aurora do esquecimento para se construir a Memória do Futuro.

Como sua apresentação está conectada com a pesquisa em games? 

As minhas apresentações mostrarão, do ponto de vista tecnológico, a possibilidade dos games maximizarem os benefícios do novo paradigma de comunicações – a plataforma tecnológica da Internet das Coisas. Mas o enfoque psicanalítico é uma ferramenta igualmente importante para estudo e promoção da ética do gameplay.

Quais os principais elementos dos projetos de pesquisa em games da Cidade do Conhecimento em que você participa?

A Cidade do Conhecimento é um dos pilares do “iRIoT”: “interdisciplinary research for the internet of things” (pesquisa interdisciplinar sobre a internet das coisas). As pesquisas partem do reconhecimento da multidimensionalidade da “Internet das Coisas”: tecnologia, processos de negócios, regulação, governança, padronização e fatores humanos. O desenvolvimento de serviços e aplicações realmente úteis para a sociedade (em especial os games) exige uma abordagem interdisciplinar com a participação de profissionais com diferentes formações. Os projetos de pesquisa se estendem desde o desenvolvimento tecnológico mais “hard” na engenharia de telecomunicações à implementação das “moedas criativas”, passando por produtos de regulação jurídica e a formulação de “roadmaps” que indiquem os melhores caminhos para a implantação de novos serviços.

G4C LA Festival – Final Program – In English

Featured

December 12

Workshops

9 AM: The future of Games in Education (workshop)
Presentation of  “Research Sum It!” results (SPGames 2012), held at the Museum of Image and Sound in November, focusing on games and education, culture and the market. Announcement of major initiatives for the SBGames 2013 in São Paulo, with Pollyana Mustaro, Chair da SBGames 2013 em São Paulo and Professor of the Universidade Mackenzie,  Flavio Soares Correa da Silva, Professor of the Instituto de Matemática e Estatística, IME-USP, Moisés Zylberstajn (Coordenator of TICs at the Colégio Santa Cruz), Carlos E. Lourenço (NCE-PPGCOM-ECA-USP) and Gilson Schwartz, Director of the Latin America Chapter of the Games for Change, Professor at the Post-Grad program at “Meios e Processos Audioviusuais” (Escola de Comunicações e Artes) and “Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades” (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) and leader of the research group Cidade do Conhecimento and Iconomia at USP.

10 AM: Transmedia and Games
Transmedia may still be confused with “multimedia” or “crossmídia.” Nina Simões (Founder/Executive Producer at Translimitstorytelling.org) discusses the new approach and indicates new horizons for audiovisual creation beyond the limits of the screen so as to stimulate real changes in behavior and politics

11 AM: Game Design and Internet of Things (Workshop)
After the “web 2.0″ wave, games and augmented reality, internet of things and semantic web set new horizons for digital convergence. The future of digital technologies and the new possibilities of “mobile learning” are presented with a focus on practical examples and projects under execution by the laboratory “interdicisplinary research for the internet of things – iRIOT” at USP, in partnership with UNICSUL and UNITAU under the coordination of José Roberto Amazonas (POLI-USP).

1 PM:Lunch Break

2 PM: Maria Bonita and the Digital Lampoon (workshop)
Selected in workshops held in July 2012 at the Museum of Image and Sound (MIS) of São Paulo, the transmedia game project “Maria Bonita and the Digital Lampoon” proposes a new light on the life of the iconic Brazilian folk figure Lampião (literally, “lampoon”) trough the eyes of his companion, Maria Bonita (Pretty Mary). Unlike the classical song which says “get up Mary and fix me a coffee, ´cause the police is abbout to come”, Maria Bonita has a leading role in this FPS game (“first person shooter”) for the rescue of humanitarian values and Brazilian culture. A project sponsored by UNITY. The workshop calls for several opportunities for participants to engage in the creation, development, promotion and distribution of the first Brazilian-made transmedia game with support of the Games for Change network.

3 PM: Games In Schools, Now?! (workshop)
Presentation and discussion of research on information and communication technologies in school settings, trends in the use of games in early childhood education, secondary education, higher and lifelong learning, review of key indicators on the impact of the Internet on educational organizations and student performance, debate on the role of teachers and school managers facing the challenges of “gamification.” Thais Barros, research fellow at the City of Knowledge and “TIC.edu” project (CETIC.br).
December 13

Conferences and Roundtables
9 AM – Opening Ceremony and Audiovisual Presentation “Cidade do Conhecimento”
Opening Ceremony of the II Games for Change Latin America Festival with the participation of the CEACA group (Centre for Applied Studies of Capoeira at USP) and exhibition of audiovisual production by the “Cidade do Conhecimento” (City of Knowledge Research Group at USP). Shorts and documentaries recount 15 years of research programs and projects.

10 AM: The economics of convergence: internet and games
Latest data and trends on the convergence between digital games and the internet, opportunities and risks for private investors, new business models and the role of governments and public policies are discussed by Luiz Ojima Sakuda (POLI-USP and FEI), Luli Radfahrer (ECA-USP) and Mike Vorhaus, President of Magid Advisors.

11 AM: VRUM – Education for Traffic with Citizenship (game launch, test and public discussion)
The highlight of this year´s Festival is the launch, test drive and public review of the Vrum game developed by Vsoft focusing on citizenship education and car traffic in big cities. Experts discuss the potential for improving urban mobility and behavior of drivers, pedestrians, cyclists and motorcyclists leveraged by the use of video games. Participation of Pedro Alves (Vsoft), Adriana Camargo (Instituto Ayrton Senna – IAS), Social Movement “It was not an accident,” Mario Lapin (Virgo Games), Renata Falzoni (journalist and bike activist) and Maria Cristina Hoffman (National Traffic Authority – DENATRAN).

1 PM: Lunch Break

2 PM: Under 18 Only – Projects and Experiences
Testimonials, reflections and proposals by game designers, activists, researchers and students under 18 years of age only! A view from those actually leading us into the future of game design and activism in Brazil and worldwide, with the participation of Erik Martin (ScienceOnlineTeen, U.S. Department of Energy, via webconferencing), NAVE (RJ), Idade Media (Colegio Bandeirantes) and students participating in the “Junior Science Program” at the City of Knowledge, USP.

3 PM: The Vertigo of Games, Andrew Keen (webconference)
Andrew Keen stands out in the current scenario as a critical reference and sober reflection on the effects, advantages and prospects of the use of the Internet and new media, social networking and games as spaces of socialization and identity formation. The author of “Digital Vertigo” (2012) proposes a vision of consumption, production and promotion of games that escapes the commonplace( via webconferencing).

4 PM: Heroes and Myths in Games
Character design and virtual worlds in storytelling are not a core issue in traditional events about games and technology. Luiz Carlos Petry (PUC-SP), Alan Costa (USP) and Francisco Tupy (USP) share ideas, techniques and proposals concerning the art of playing with myths and heroes in games.

6 PM: Games and new narratives: the future of audiovisual media?
Joao Batista de Andrade (President of the Latin America Memorial Foundation), Glaucia Davino (Mackenzie), Leandro Saraiva and Ciléia Biaggioli (TVT) discuss the crisis and resumption of the Brazilian movie industry in face of the emergence of new digital technologies.

December 14

Workshops

9  AM: Global Conflicts
The award-winning game “Global Conflicts” is now an ongoing activity in public and private schools in Brazil. This workshop presented by Francisco Tupy, Thais Barros and Pedro Felipe Ajzenberg Schwartz shares initial results and show the way with transmedia games in schools.

10 am: CONECTA
A game aimed at mobilizing citizens to improve living conditions in Florianópolis, associated with the international network “Social Good”. The workshop shows the backstage of the project and the possibilities of engagement in social transformation through the creation and use of videogames in the third sector. Participation of Henry Bussacos (via web conferencing).

11 AM: Games and Entrepreneurial Education
Videogames and simulations have become indispensable in the formation of entrepreneurs in Brazil and worldwide. Carla Zeltzer and Antonio Ramos (School of Entrepreneurship, RJ) in partnership with the City Department of Education of Rio de Janeiro show the results achieved and the prospects for entrepreneurship through “gamification”.

1 PM: Lunchbreak

2 PM: ” Games and Digital Education Olympics– OJE” (PE), “Instituto Sapientia” (SC) and “Challenges of Life” (PE)
Brazil is not only São Paulo and Rio de Janeiro! Educators, software engineers and artists for some of the most innovative projects of creation and use of games in education and training of citizens from Pernambuco, Santa Catarina such as Luciano Meira (UFPE), Carlos Eduardo Somaggio (Institute Sapientia, SC) and Breno Carvalho (Unicap, PE) show their projects and guide those interested in creating games to change the world.

4 PM: Games and Health
Vince Vader (ESPM) is one of the foremost researchers and mentors of the younger generation who seek to combine the technological frontier to a consistent performance in gamer culture. In this workshop, he shows the concepts, technologies and proposals for behavioral change in game design for health.

5 PM: Public Policies and Business Models in Games
Fred Vasconcelos (Abragames), Moacyr Alves (ACIGAMES), Afonso Fleury (POLI-USP) and Luiz Ojima Sakuda (POLI-USP) discuss the future of the game industry in Brazil and the emergence of public policies and innovative business models in the field of digital entertainment. The assumptions, methodology and objectives of the research “The Future of Games Industry in Brazil” (BNDES-USP) will be presented and discussed aiming atthe formation of a network of experts and business leaders.

December, 15

Workshops and Debates

 

Used Games and Toys Fair

9 AM :Creative Currencies (Workshop)
The “Creative Currencies” project was selected by UNESCO in 2012 as one of the “+20 Ideas to Girate the World” campaign launched in the “Rio +20″ Summit. Awarded twice by the Ministry of Culture, sponsored by BNDES and mobilizing a network of partners in the private sector (FECOMERCIO, UOL Jogos, Folha de S. Paulo), Creative Currencies open a field for the reinvention of monetary icons aimed at increasing production and responsible consumption of culture, education and the arts. The workshop explains the network formation model behind the project and prospects for its expansion as an ARG (“alternate reality game”) created and coordinated by Gilson Schwartz (Director, Latin America, “Games for Change”).

10 AM Fernando Bispo

Researcher, artist and inventor of toys returns to the Festival to share secrets of ancient Chinese art of sewing rings. Throughout the day, Bispo will teach workshops of all stages on the making of “Lin Chen,” revealing the ruse to “take the fork of the rings” (for those who so wish, perhaps because some are able to decipher the riddle) and indicate the key elements of the philosophy of “Lin Chen.” The workshops will be held every two hours until 5 pm Saturday.

10 AM: “Laughtherapy”

The Rocokóz Theatre  developed and is showing in local hospitals and convalescent retreats a talk-show that goes deep into the spirit of the play, the ideia of playing with life and culture. The importance of Joy for human and environmental health is explored in three movements: 1) An explanation of the group’s experience in this field, their goals and “tales” interesting occurred during the experiment, 2) Opening for a chat with this audience for questions, comments, opinions, etc.., and 3) Performance surprise performed by a pair of “laugh-o-therapeuts” on the spot, live, in color and with laughter! Coordination: Carlos and Ciléia Biaggioli.

10 AM: VRUM (Workshop)
The new game released by Vsoft, featured in the Festival, is presented in this workshop for those interested in bringing its gameplay to schools, NGOs and businesses. Citizenship education in adverse urban traffic conditions lead to pedagogical, technological and political aspects that will be discussed by the Vsoft team. Preliminary results of research on the Vrum “gameplay” will be linked to different learning profiles.

11 AM: Deconstructing Sleeping Beauty
Workshop to create a game starting with the deconstruction of the “Sleeping Beauty” classic. Participants will have the whole day to soak in the script and show a new “gamefied” version of the fairy tale. Curated by Thais Lopes.

2 PM: Games, Health and Sustainability
Psychoanalysis, ecology, public health and medicine from infancy to old age: this agenda will be discussed by experts from USP, PUC-SP and Mackenzie, with the goal of guiding educators, families and citizens on the risks and possibilities of using videogames in healthcare and the environment. Participation of Graziela Matarazzo (College Porto Seguro), Maria Helena Morgani (Medicine, USP), Guilherme Meneses (FFLCH-USP), Arlete Petry and Ivelise Fortim (PUC-SP), José Roberto Amazonas (POLI-USP).


5 PM: Games and the Networked Audiovisual Production Paradigm
Producing for the net is not synonymous with producing as a network. The potential for new collaborative models from digital TV to “game jams” are discussed at the closing session of the Festival, with the participation of Adriano Adoryan (Empresa Brasileira de Comunicação – EBC and USP), Amyris Fernandez (FGV-SP) Guilherme Ary Plonski (TMP-USP), Emanuel Tavares (Mackenzie University) and Marcia Moura (LIGAÇÃO project, University of Taubaté).

Used Games and Toys Fair

Throughout December 15 the Festival hosts the first ever games and electronic toys exchange and donation rally.

Games and toys donated will be directed to charities, discarded will be delivered to a recycling cooperative in São Miguel Paulista.

18 PM: Closing Party

Access to the Closing Party will be conditioned on participation in Exchanges, Donations and Disposal of Electronic Games and Toys.

TO da USP no Festival

Featured

O que a área de TO da Faculdade de Medicina da USP irá apresentar no Festival?  

Vamos dar a perspectiva histórica da parceria entre o Laboratório de Estudos e Ações em Terapia Ocupacional do Curso de Terapia Ocupacional da FMUSP (GeronTO) com a Cidade do Conhecimento e,  nesse contexto, dar ênfase à nossa contribuição no desenvolvimento do Curso “Terceira Imagem”, que propiciou a realização de revisão bibliográfica e documental sobre o tema “videogames” para idosos.

Como sua apresentação está conectada com a pesquisa em games?  

A revisão bibliográfica e documental sobre o tema “videogames” para idosos, possibilita aproximação ao tema  e formulação de questões para pesquisa e prática no campo dos games para idosos. Por meio dessa revisão evidenciamos escassez de estudos sobre o assunto e, mesmo entre os poucos estudos realizados, predomina a visão do envelhecimento como fase de declínio, o que limita investimentos nesse campo. Apesar dos poucos jogos com interfaces amigáveis para o público idoso, alguns idosos aproximam-se desses recursos, revelando a potencialidade dos games como uma das estratégias para exercício e manutenção habilidades e ampliação da interação social e não somente como fonte de entretenimento.

Quais os principais projetos de pesquisa em games que a Cidade do Conhecimento está produzindo?

O Laboratório GeronTO colaborou com a pesquisa ” Terceir@idade” (CNPq, 2011) e vem atuando em parceria com Gilson Schwartz nos cursos de extensão junto ao público integrante da “Universidade Aberta da Terceira Idade” oferecidos pela Cidade do Conhecimento (2011 e 2012).

Maria Helena Morgani de Almeida estará no Festival no dia 15 de dezembro, compondo a mesa-redonda “Games, Saúde e Sustentabilidade”.

Para Vince Vader, games vão renovar área de saúde

Featured

Vince Vader (ESPM) é um dos mais destacados pesquisadores e mentores das novas gerações que buscam aliar a fronteira tecnológica a uma atuação consistente na cultura gamer. Em oficina no II Festival Games for Change América Latina, ele vai mostrar os conceitos, tecnologias e propostas de mudança comportamental associadas a um projeto inédito de game para a área de saúde. A apresentação acontece às 16horas do dia 14 de dezembro.

O que você vai apresentar no Festival?

O foco da minha apresentação é a utilização de mecânicas de games e interfaces lúdicas na área da saúde e em causas sociais.

Como sua apresentação está ligada a pesquisas em games?

Eu estudo como as técnicas, mecânicas e linguagens dos games podem extrapolar o próprio universo dos games. Como eles podem ampliar seu escopo auxiliando em saúde, educação, política e causas sociais.

Festival tem oficinas, “test drive”, debates e feira de trocas e doações

Featured

 

 

O Programa do II Festival Games for Change América Latina, no Memorial da América Latina entre os dias 13 e 15 de dezembro, oferece oficinas em game design, pedagogia com games, criação e ativismo, palestras e debates, “test drive” de games e uma inédita Feira de Trocas, Doações e Descarte de games e brinquedos eletrônicos.

Escolha as palestras, trilhas e oficinas antes de fazer a inscrição.

Há bolsas integrais para alunos e professores da rede pública (candidatos a receber bolsas integrais devem indicar a necessidade no formulário de inscrição).

Link para Inscrições

As inscrições podem ser feitas para cada uma das trilhas ou por meio de um “Passe” com descontos progressivos para quem escolher mais de uma atividade. A iniciativa tem a parceria do UOL Jogos, Folha de S.Paulo, AMD Foundation, dos grupos de pesquisa Cidade do Conhecimento USP, iconomia, iRIOT e PGT da USP, Vsoft, SBGames, ABRAGAMES, ACIGAMES, FECOMERCIO e Fundação Memorial da América Latina. As atividades acontecem na Biblioteca Victor Civitta.  Não haverá transmissão online (“streaming”).

Programa Preliminar

12 de dezembro – Seminários e Oficinas Pré-Festival

(Auditório Paulo Emílio Salles Gomes

e Laboratório Multimídia da Escola de Comunicações e Artes

Universidade de São Paulo)

9 horas: O Futuro dos Games na Educação (seminário)

Apresentação dos resultados da I Súmula de Pesquisa em Games e Entretenimento Digital (SPGames), realizada no Museu da Imagem e do Som em novembro, aponta caminhos para os games na educação, na cultura e no mercado. Anúncio das principais iniciativas do evento SBGames 2013, em São Paulo. Discussão sobre o potencial dos games na grade educacional desde o ensino fundamental até a universidade. Com a presença de Pollyana Mustaro, Chair da SBGames 2013 em São Paulo e Professora da Universidade Mackenzie,  Flavio Soares Correa da Silva, Professor do Instituto de Matemática e Estatística, IME-USP, Moisés Zylberstajn (Coordenador de TICs no Colégio Santa Cruz), Carlos E. Lourenço (NCE-PPGCOM-ECA-USP) e Gilson Schwartz, Diretor para América Latina da rede “Games for Change”, Professor dos Programas de Pós-Graduação em “Meios e Processos Audioviusuais” (Escola de Comunicações e Artes) e em “Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades” (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) e líder dos grupos de pesquisa Cidade do Conhecimento e Iconomia da USP.

10 horas: Games, novas narrativas e a abordagem “transmídia” (oficina)

Ganhou relevância e proeminência a abordagem “transmídia”, que muitos ainda confundem com “multimídia” ou “crossmídia”. Nina Simões (fundadora do http://translimitstorytelling.org/) reconta a história da nova abordagem e indica os horizontes da criação audiovisual que vai além dos limites da tela para estimular mudanças reais no comportamento e na política. A oficina tem duração de duas horas divididas em partes teórica e prática.

12 horas: Game Design e Internet das Coisas (seminário)

Depois da onda “web 2.0″, games e realidade aumentada, internet das coisas e semântica web definem novos horizontes para a convergência digital. O futuro das tecnologias digitais e as novas possibilidades do “mobile learning” são apresentadas com foco em exemplos práticos e projetos em execução pelo laboratório “interdicisplinary research for the internet of things – iRIOT” da USP, em parceria com UNICSUL e UNITAU, sob a coordenação de José Roberto Amazonas (POLI-USP).

13 horas: Intervalo para Almoço

14 horas: Maria Bonita e o Lampião Digital (oficina)

Selecionado em oficinas realizadas em julho de 2012 no Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo, o projeto de game transmídia “Maria Bonita e o Lampião Digital” propõe uma revisitação aos ícones do cangaço na perspectiva da companheira do cangaceiro Lampião. Ao contrário do clássico do cancioneiro em que é instada a “levantar e fazer café” pois “a polícia já está chegando”, Maria Bonita assume nesse projeto o protagonismo num game do tipo FPS (“first person shooter”) voltado ao resgate de valores humanitários e à valorização da cultura brasileira. Um projeto em parceria com a empresa UNITY. A oficina abre aos participantes várias oportunidades de engajamento na criação, desenvolvimento, promoção e distribuição do primeiro game transmídia brasileiro com a marca “Games for Change”.

15 horas: Games nas Escolas, Já?! (seminário)

Apresentação e discussão de pesquisas sobre tecnologias de informação e comunicação em ambientes escolares, tendências no uso de games em educação infantil, ensino médio, superior e educação continuada, revisão dos principais indicadores sobre o impacto da internet na aprendizagem e debate sobre o papel de professores e gestores escolares diante dos desafios da “gamificação”, apresentação do livro-aplicativo-game “Brinco, Logo Aprendo”. Com Thais Barros, pesquisadora da Cidade do Conhecimento da USP e da pesquisa “TIC.edu” (CETIC.br), André Jun Nishikawa, pesquisador da Cidade do Conhecimento da USP e Gilson Schwartz (Curador do Festival).

16 horas: Changing the Game (seminário)

Interessados em participar do projeto “Maria Bonita e o Lampião Digital”, educadores e lideranças do terceiro setor com novas ideias para jogos terão a oportunidade de aprender mais sobre o movimento que está mudando a cara e abrindo perspectivas do mercado de desenvolvimento de games. Projetos como “Half the Sky”, “Gamestar Mechanics” e a rede “Changing the Game” (AMD Foundation) serão apresentados pelo diretor para América Latina da rede Games for Change, Gilson Schwartz e participação de Mario Lapin (Virgo Games, Produtor-Executivo do Festival em 2011).

 

13 de dezembro

Palestras e Debates na Biblioteca Victor Civitta

Memorial da América Latina

9 horas – Abertura Solene e Mostra Audiovisual “Cidade do Conhecimento”

A Abertura Solene do II Festival Games for Change América Latina tem a participação do grupo CEACA (Centro de Estudos Aplicados de Capoeira da USP) e exibição da produção audiovisual do grupo “Cidade do Conhecimento” da USP. São curtas e documentários que registram 15 anos de pesquisas, programas e projetos de cultura e extensão. Com a presença de João Batista de Andrade, Presidente da Fundação Memorial América Latina, Michelle Byrd, Co-Presidente Mundial da Games for Change, Gilson Schwartz, Diretor para América Latina da Games for Change

10 horas: A economia da convergência entre internet e games

Os dados e tendências da convergência digital entre games e internet, os riscos e fronteiras do investimento privado, os modelos de negócios e a atuação dos governos são debatidos por Luli Radfahrer (ECA-USP), Luiz Ojima Sakuda (POLI-USP e FEI) e Mike Vorhaus, Presidente da Magid Advisors.

11 horas: LANÇAMENTO do Game VRUM

O destaque do Festival é o lançamento, test drive e avaliação pública do game VRUM, desenvolvido pela Vsoft com foco na educação para a cidadania no trânsito. Especialistas discutem o potencial de melhoria na mobilidade urbana e no comportamento de motoristas, pedestres, ciclistas e motociclistas a partir de uma ampla campanha centrada no uso de videogames. Participação de Pedro Alves (Vsoft), Adriana Camargo (Instituto Ayrton Senna – IAS), Nilton Gurman (Liderança nos Movimentos “Não Foi Acidente” e “Viva Vitão”), Mario Lapin (Virgo Games), Renata Falzoni e Maria Cristina Hoffman (DENATRAN).

13 horas: Intervalo para Almoço

14 horas: Proibido para Maiores – Projetos e Experiências

Sessão dedicada exclusivamente a depoimentos, reflexões e propostas de game designers, ativistas, pesquisadores e estudantes com menos de 18 anos de idade. Uma visão de quem está à frente do movimento “Games for Change” no Brasil e no mundo, com a participação de Erik Martin (ScienceOnlineTeen, U.S. Department of Energy), NAVE (RJ), Idade Mídia (Colégio Bandeirantes) e alunos que participam do programa de Pré-Iniciação Científica na Cidade do Conhecimento da USP.

15 horas: A Vertigem dos Games, com Andrew Keen (webconferência)

Andrew Keen destaca-se no cenário atual como referência crítica e sóbria na reflexão e debate sobre os efeitos, vantagens e perspectivas do uso da internet e das novas mídias, redes sociais e games como espaços de socialização e formação de identidades. O autor de “Vertigem Digital” (Zahar, 2012) propõe uma visão do consumo, da produção e da promoção dos games que escapa ao lugar comum. Keen participará dos debates por webconferência.

16 horas: Heróis e Mitos nos Games

Construir personagens, elaborar roteiros e compreender os efeitos da indústria de games no universo da contação de histórias são assuntos pouco discutidos nos eventos tradicionais sobre games e tecnologia. Luiz Carlos Petry (PUC-SP), Alan Costa (USP) e Francisco Tupy (USP) mostram seus trabalhos e compartilham reflexões sobre a arte de brincar com mitos e heróis em universos virtuais.

18 horas: Games e Novas Narrativas – Futuro do Audiovisual?

João Batista de Andrade (Presidente da Fundação Memorial da América Latina), Glaucia Davino (Mackenzie), Leandro Saraiva e Ciléia Biaggioli (TVT), Leandro Carabet e Mariane Murakami (pesquisasores do “MidiAto – Grupo de Estudos de Linguagem: Práticas Midiáticas”” da USP) discutem a crise e a retomada do “cinemão” brasileiro, os novos formatos televisivos e a importância crescente dos roteiristas  frente à emergência de novas tecnologias digitais e games no mercado audiovisual.

14 de dezembro

Oficinas no Memorial da América Latina

9 horas: Conflitos Globais

O premiado game “Conflitos Globais”, premiado no Brasil e no exterior, já está presente em atividades de turno e contra-turno em escolas públicas e particulares. Essa oficina com a participação de Francisco Tupy, Thais Barros e Pedro Felipe Ajzenberg Schwartz mostra os resultados iniciais e indica um caminho para o estudo transmídia com games nas escolas.

10 horas: CONECTA

Um game voltado à mobilização dos cidadãos para melhorar as condições de vida em Florianópolis, associado à rede internacional “Social Good”. A oficina mostra os bastidores do projeto e as possibilidades de engajamento na transformação social a partir da criação e uso de videogames no terceiro setor. Participação de Henrique Bussacos por webconferência.

11 horas: Games e Educação Empreendedora

Videogames e simulações já se tornaram indispensáveis na formação de empreendedores no Brasil e no mundo. Carla Zeltzer e Antonio Ramos (Escola de Empreendedorismo, RJ) em parceria com a  Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro mostram os resultados alcançados e as perspectivas que se abrem quando o empreendedorismo potencializa a “gamificação”.

13 horas: Intervalo para Almoço

14 horas: “Olimpíada de Jogos Digitais e Educação – OJE” (PE), “Instituto Sapientia” (SC) e “Desafios da Vida” (PE)

O Brasil “fora do eixo” Rio-São Paulo já mobiliza educadores, engenheiros de software e artistas para alguns dos mais inovadores projetos de criação e uso de games na educação e na formação de cidadãos. Luciano Meira (UFPE), Carlos Eduardo Somaggio (Instituto Sapientia, SC) e Breno Carvalho (Unicap, PE) mostram seus projetos e orientam os interessados em criar projetos de games para mudar o mundo.

16 horas: Games na Saúde

Vince Vader (ESPM) é um dos mais destacados pesquisadores e mentores das novas gerações que buscam aliar a fronteira tecnológica a uma atuação consistente na cultura gamer. Nessa oficina, ele mostra os conceitos, tecnologias e propostas de mudança comportamental num projeto inédito de game para a área de saúde.

17 horas: Políticas Públicas e Modelos de Negócios em Games

Fred Vasconcelos (ABRAGAMES), Moacyr Alves (ACIGAMES), Afonso Fleury (POLI-USP) e Luiz Ojima Sakuda (POLI-USP) discutem o futuro do mercado de games e o espaço para políticas públicas e modelos de negócios inovadores no campo do entretenimento digital. Os pressupostos, metodologia e objetivos da pesquisa “O Futuro da Indústria de Games no Brasil” (BNDES-USP) serão apresentados e discutidos tendo como horizonte a formação de uma rede de especialistas e lideranças empresariais engajadas no crescimento do setor no Brasil.

15 de dezembro

Oficinas e Debates

Feira de Trocas, Doações e Descarte de Games e Brinquedos Eletrônicos

Memorial da América Latina

9 horas: Moedas Criativas e Scalable Game Design (seminário)

O projeto “Moedas Criativas” foi selecionado pela UNESCO em 2012 como uma das “+20 ideias para Girar o Mundo” em campanha lançada na “Rio +20″. Premiado duas vezes pelo Ministério da Cultura, patrocinado pelo BNDES e mobilizando uma rede de parceiros no setor privado (FECOMERCIO, UOL Jogos, Folha de S.Paulo), na academia e no terceiro setor, as moedas criativas abrem um campo de invenção de ícones de valor voltados à ampliação da produção e do consumo responsável de cultura, educação e artes. A oficina explica o modelo de formação da rede e as perspectivas do ARG (“alternate reality game”) criado e coordenado por Gilson Schwartz (diretor para América Latina da rede “Games for Change”). A sessão traz à discussão outro projeto apoiado pela AMD Foundation no programa “Changing the Game” e realizado pela PUC-RJ, representada por  Martha Serra, Consultora do “Scalable Game Design Brasil”.

10 horas: VRUM (Oficina)

O novo game da Vsoft, destaque no Festival, é apresentado nessa oficina para os interessados em levar a escolas, ONGs e empresas a epxeriência da educação para a cidadania no trânsito. Aspectos pedagógicos, tecnológicos e políticos serão debatidos pela equipe da Vsoft, assim como os resultados preliminares de pesquisas sobre o “gameplay” de VRUM e seus impactos em jogadores com diferentes perfis de aprendizagem.

10 horas: O Mistério dos Anéis Chineses (oficina)

Fernando Bispo, pesquisador, artista e inventor de brinquedos retorna ao Festival e compartilha segredos milenares da arte chinesa de costurar anéis. Ao longo do dia, nas oficinas  Bispo vai ensinar todas as etapas da confecção do “Lin Chen”, revelará o ardil para “tirar o garfo das argolas” (para aqueles que assim queiram, pois talvez alguns consigam decifrar o enigma ) e indicará os elementos fundamentais da filosofia do “Lin Chen”. As oficinas serão realizadas de duas em duas horas, até as 17 horas do sábado.

10 horas: A Bela Adormecida (oficina)

Oficina de criação de um game a partir da desconstrução do clássico “A Bela Adormecida”. Os participantes terão o dia inteiro para mergulhar no roteiro e mostrar ao final uma nova versão “gamificada” do conto de fadas. Curadoria de Thais Lopes.

10 horas: Risoterapia (Palestra-Show)

O Teatro de Rocokóz desenvolveu e vem apresentando em hospitais e locais de convalescença e retiro uma palestra-show que vai fundo no espírito do brincar, do jogar com a vida e a cultura.  A importância da Alegria para a saúde humana e ambiental é explorada em três movimentos: 1) Uma explanação sobre a experiência do grupo neste âmbito, seus objetivos e “causos” interessantes ocorridos durante a experiência; 2) Abertura para um bate-papo com a platéia presente, para dúvidas, comentários, opiniões, etc.; e 3) Performance-surpresa realizada por uma dupla de “risoterapeutas” no local, ao vivo, a cores e às gargalhadas! Coordenação: Carlos e Ciléia Biaggioli. 

13 horas: Intervalo para Almoço

14 horas: Games, Saúde e Sustentabilidade

Psicanálise, ecologia, saúde pública e medicina da primeira infância à terceira idade: essa agenda será debatida por especialistas da USP, PUC-SP e Mackenzie, com o objetivo de orientar educadores, familiares e cidadãos para os riscos e possibilidades do uso de videogames no cuidado com a saúde e o meio-ambiente. Participação de Graziela Matarazzo (Colégio Porto Seguro), Maria Helena Morgani (Medicina, USP), Guilherme Meneses (FFLCH-USP), Arlete Petry e Ivelise Fortim (PUC-SP) e José Roberto Amazonas (POLI-USP).

17 horas: Games na Produção Audiovisual em Rede

Produzir para a rede não é sinônimo de produzir em rede. O potencial de novos modelos colaborativos no processo de game design, da TV digital às “game jams”, do futuro das festas literárias no mundo da cultura e das bibliotecas digitais à emergência de uma nova cultura de inovação sustentável na manufatura digital, na exploração dos recursos naturais e na promoção do desenvolvimento humano e cultural são os temas discutidos na sessão de encerramento do Festival, com a participação de Adriano Adoryan (Empresa Brasileira de Comunicação – EBC e USP), Amyris Fernandez (FGV-SP), Guilherme Ary Plonski (PGT-USP), Emanuel Tavares (Laboratório de Computação Natural – LCoN da Faculdade de Computação e Informática e Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica – PPGEE da Universidade Presbiteriana Mackenzie e Zoid! Studio),  Marcia Moura (Curadora da Festa de Literatura, Games e Artes em Ação – LIGAÇÃO, Universidade de Taubaté e Instituto Todo Mundo), Ricardo Nakamura (POLI-USP, Co-Chair SBGames 2013) e Asi Burak  (Co-Presidente Mundial da Games for Change, EUA).

Feira de Trocas, Doações e Descarte de Games e Brinquedos Eletrônicos

Ao longo do dia 15 de dezembro acontece a primeira feira do gênero. Trocar ou doar o que ainda funciona e descartar o que já não presta é o desafio para quem se diverte com responsabilidade pelo meio-ambiente. Os games e brinquedos doados serão direcionados para instituições de caridade, os descartados serão entregues a uma cooperativa de recicladores.

18 horas: Festa de Encerramento

Inscreva-se e fique informado.

O acesso à festa será condicionado à participação na Feira de Trocas, Doações e Descarte de Games e Brinquedos Eletrônicos.

Escolha as palestras, trilhas e oficinas antes de fazer a inscrição. Há bolsas integrais para alunos e professores da rede pública (candidatos a bolsas devem indicar a necessidade no formulário de inscrição). 

Link para Inscrições

SPGames definiu mote do Festival

Featured

Ivelise Fortim (PUC-SP) e Francisco Tupy (Games for Change, Cidade do Conhecimento, USP)

Após três dias de palestras e interações online a partir do auditório do Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo, entre os dias 19 e 21 de novembro, a I Súmula de Pesquisa em Games e Entretenimento Digital definiu o mote do II Festival Games for Change América Latina: “Games nas Escolas, Já!?”.

“A provocação está em juntar a interrogação e a exclamação. É um misto de surpresa, preocupação e disposição a enfrentar o desafio, reconhecendo sua complexidade e urgência”, afirma o Curador do Festival e Diretor para América Latina de rede “Games for Change”.

O ponto de partida para a definição desse eixo temático foram os resultados de pesquisas apresentadas nos últimos anos na trilha de “Cultura” do SBGames, apresentados por Ivelise Fortim, professora da PUC-SP. Nos últimos anos, o principal evento de aproximação entre unviersidade e empresas na área de Games revelou-se, nos debates sobre cultura, fortemente concentrado em pesquisas e experimentações com games em escolas e educação.

Esse resultado serve de ponto de partida para a programação do Festival, cujo formulário de adesão online já recebeu mais de 50 propostas de intervenção. “Selecionar e organizar tanto conteúdo de qualidade para uma agenda que se concentra em três dias é um desafio logístico. Também entre as propostas recebidas é visível a importância do viés educacional nas propostas de atividades para o Festival, não a educação tradicional, mas a ligação entre educação e cidadania”, informa Schwartz.

Tendência semelhante é observada nos EUA, onde nasceu o movimento “Games for Change”. O Festival anual, em Nova York, há vários anos é associado ao “Games for Learning Institute”, na Universidade de Nova York.

Propostas de intervenção serão aceitas até o dia 30 de novembro. Patrocínios, permutas e doações serão aceitas até o dia 5 de dezembro. O II Festival Games for Change América Latina acontecerá entre os dias 12 e 15 de dezembro. Outros resultados e os vídeos da I SPGames serão divulgados e discutidos em mesas-redondas e oficinas no Memorial da América Latina.

LINK: Ficha de Adesão ao II Festival Games for Change América Latina

James Ivory abre SPGames no MIS

Featured

A I Súmula de Pesquisa em Games e Entretenimento Digital tem início na segunda-feira, 19 de novembro, às 15 horas, com a apresentação de um panorama da pesquisa na área de games por James D. (Jimmy) Ivory, fundador do VT G.A.M.E.R. Lab (Virginia Tech Gaming and Media Effects Research Laboratory), um laboratório no Departamento de Comunicações. O foco da sua pesquisa está nas dimensões sociais e psicológicas das novas tecnologias midiáticas, com ênfase no conteúdo e nos efeitos de novas mídias de entretenimento como os videogames. O professor Ivory também atua no desenvolvimento de software e em consultoria na área de análise de mídias, desenvolvimento e marketing como integrante da Arrowhead Interactive.

Na mesma segunda-feira, às 16 horas, Gilson Schwartz apresenta o conceito de “book-app-game” (“bag”), aplicado ao projeto “Brinco, Logo Aprendo – Videogames, Educação e Moralidades Pós-Modernas”. O objetivo do livro é evoluir como um game colaborativo com foco na criação de aplicativos alinhados à agenda da rede “Games for Change”.

A programação é retomada no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, em debate às 11 horas organizado em parceria com a rede ETC – a rede “Econtro de Twitteiros Culturais” da #REDEMIS, liderada por José Luiz Goldfarb. O tema é “Racismo e Cultura em Monteiro Lobato”. Participam da mesa o próprio Goldfarb, André Campos, Chritiane Angelotti e Tiago Alcântara.

André Campos é Mestre e Doutor em Teoria Literária pela UNICAMP (literatura africana) , professor universitário e de ensino médio há 30 anos. Ministra palestras e mini-cursos com os temas Monteiro Lobato, Narração em Guimarães Rosa, Aproximações entre Teatro e Literatura, Alfredo Bosi e a História Concisa da Literatura Brasileira.

Tiago Alcântara é jornalista especializado nas editorias de Cultura e Tecnologia. Atualmente é repórter de Tecnologia e Ciência no portal R7 e editor da área Geek do site ClickCultural, especializado em cultura pop. Já passou pela redação do site Superdownloads, fez parte da equipe de roteiristas do HumorTadela e atuou como gerente de criação/web na agência Tudo em Pauta, em Luanda, Angola.

Christiane Angelotti é escritora e há mais de dez anos trabalha e pesquisa conteúdos educativos e de literatura para sites e portais. Pós-graduada em Distúrbios da Comunicação,pela PUC-SP, atualmente se dedica integralmente à literatura e ao jornalismo cultural. É membro do conselho editorial da Revista Emília.

José Luiz Goldfarb é Coordenador do Prêmio Jabuti, Professor da PUC-SP, Coordenador da #REDEMIS e outros projetos de incentivo à leitura.

No período da tarde, a partir das 14 horas, Luiz Carlos Petry, da PUC-SP, faz uma intervenção para apontar possibilidades de convergência entre cultura e tecnologia nos games a partir de uma abordagem “topofilosófica”.

No terceiro dia, a partir das 14 horas, Ivelise Fortim (PUC-SP) e Francisco Tupy (Cidade do Conhecimento, USP e “community manager” da rede Games for Change América Latina) discutem o panorama da pesquisa no SBGames, o principal encontro entre academia e indústria para apresentação de pesquisas na área de games e entretenimento digital. O SBGames 2012 ocorreu em Brasília e acontece em São Paulo no ano que vem.

Finalmente, às 15 horas, Afonso Fleury (POLI-USP) apresenta os pressupostos metodológicos e os objetivos da pesquisa “O Futuro da Indústria de Games no Brasil”, patrocinada pelo BNDES e que vai acontecer em 2013. Os resultados dos três dias serão resumidos por Gilson Schwartz, Curador do evento e diretor para América Latina da rede “Games for Change”.

Ao longo dos três dias será possível acompanhar as atividades pela internet, usando as tags #spgames2012, #g4c_br e #redemis. Pesquisadores interessados em participar com intervenções poderão solicitar conexão via web usando as ferramentas “HangOut” ou “Skype”.

Os resultados da Súmula serão publicados na web e servirão como ponto de partida para debates e oficinas no II Festival Games for Change América Latina, que acontecerá no Memorial da América Latina entre os dias 12 e 15 de dezembro.

Interessados em apoiar a causa “Games for Change” podem desde já adquirir um “Passe Livre”, reservando seu lugar no Festival e contribuindo para apoiar projetos e iniciativas com foco no consumo responsável de mídias digitais e na criação de games comprometidos com a transformação social e cultural.

As sessões podem ser acompanhadas ao vivo pelo Livestream.

Pesquisa, racismo, indústria: prioridades da I SPGames

Featured

A I Súmula de Pesquisa em Games e Entretenimento Digital, que acontece nos dias 19, 20 e 21 de novembro no Museu da Imagem e do Som, definiu três temas para o roteiro dos debates, com duração prevista de duas horas para cada sessão.

Continue reading

“Passe Livre” garante acesso ao SPGames e ao Festival

Featured

O “Passe Livre” dá acesso a quase 30 dias de atividades associadas ao II Festival Games for Change América Latina.

O ciclo começa com a I Súmula de Pesquisa em Games e Entretenimento Digital – SPGames, no Museu da Imagem e do Som, entre os dias 19 e 21 de novembro. Esse evento de difusão científica vai trazer a público o estado da arte em pesquisas no campo de tecnologia, educação, artes, regulamentação e mercados de games com ênfase na transformação da sociedade.

Ao longo dos três dias, será iniciada a série de oficinas de revisão, colaboração e fechamento do livro “Brinco, Logo Aprendo – Games, Educação e Moralidades Pós-Modernas”, de Gilson Schwartz, Diretor para América Latina da rede “Games for Change”. Os participantes selecionados como co-autores terão participação nos direitos autorais do livro, a ser publicado em versão digital e em papel em 2013.

Além do acesso à SPGames e às oficinas de co-criação do livro “Brinco, Logo Aprendo” (com direito à versão 1.0 da obra, com 300 páginas), o detentor do “Passe Livre” terá acesso a todas as oficinas, debates, prioridade na reserva de “test drive” de games e outras atividades do Festival, que acontecerá entre os dias 12 e 15 de dezembro no Memorial da América Latina.

A oferta do “Passe Livre” a R$ 100 é válida apenas até o dia 30 de novembro.

Além de colaborar para a realização do evento, pelo menos 30% da receita líquida serão destinados para as atividades da rede Games for Change no Brasil e na América Latina, o que inclui premiações, bolsas para game designers e seminários de formação ao longo de 2103.

Participe do movimento Games for Change!

Games For Change no Brasil Game Show

Featured

No período de 11 a 14 de outubro de 2012 aconteceu o Brasil Game Show, um dos maiores eventos voltados ao mercado consumidor de Games da America Latina. Em dimensão nunca vista no Brasil, a feira recebeu em torno de 100  mil pessoas.

Metagames chegam ao Brasil com “FazGame”

Que tal um game cujo objetivo é criar um game? Um metagame?

Não é ficção ou jogo de palavras…

Apresentado no III Festival Games for Change América Latina em novembro de 2013, o projeto FazGame traz para o mundo da educação uma ferramenta inovadora que possibilita a criação de games, sem a necessidade de conhecimento em design ou programação. Um game pode ser criado por qualquer aluno, professor ou tutor. Tudo no estilo point and click.

Os games já começam a ganhar respeito e status como objetos de aprendizagem. Sim, é possível criar plataformas interativas que divertem e são educativas, tudo por meio de uma dinâmica mais aberta de comunicação entre estudantes e profissionais do ensino.

A iniciativa é liderada pelos empreendedores Carla Zeltzer e Antonio Ramos. Eles afirmam que a criação de jogos com o FazGame “desenvolve a escrita criativa, o raciocínio lógico e a capacidade de solucionar problemas”.

Confira essa inovação no mundo dos games que buscam a transformação das práticas pedagógicas no site www.fazgame.com.br.